15 de ago de 2009

O Efeito da Frustração

Quando nossos anseios e desejos não são alcançados, e deixamos a tristeza e o desânimo entrar em nosso coração, todas as outras vitorias perdem o sabor, mesmo que outrora tal vitória fosse tremendamente importante. Esse sentimento apegado à nossa alma nos desmotivará de alvos maiores.
O que aconteceu com o profeta Elias, e isso nos dias em que Israel era governado pelo Rei Acabe, levou-o a um momento de profunda tristeza. O profeta acreditara que por intermédio do sinal produzido em sua oração promoveria uma restauração em sua nação, o que de fato ocorreu, pois os que viram o fogo descer sobre o holocausto foram movidos a uma renovação da aliança com o Senhor. Porém o rei Acabe e sua esposa Jezabel continuaram a adorar ao deus Baal.
Elias fizera do modo que o Senhor havia dito, e fez com sucesso, mesmo assim o casal monarca não abandonou sua fé no deus Baal. Ante essa situação, o coração do profeta foi atacado por uma sensação de frustração, pois se sentia derrotado ao ver o casal obstinado por sua fé idólatra. Aparentemente o profeta entendeu que fosse preciso converter o casal monarca e que essa fosse sua maior missão. Diante dessa perspectiva nasce no coração do profeta um sentimento de ter feito tudo em vão, mesmo tendo convertido a multidão que estava no monte no local do sacrifício.
A palavra frustração provém do latim frustratio, originada do advérbio frustra – em vão, debalde. Este sentimento é definido como uma sensação originada de impedimentos internos e/ou externos que dificultam a realização de nossas metas. Ela surge quando tentamos concretizar atitudes idealizadas e acalentadas em nosso íntimo, e encontramos diante de nós obstáculos praticamente intransponíveis. Psicanaliticamente ela é compreendida no sentido de uma carência material ou psíquica experimentada como algo injusto. Esta emoção tende a ser maior quanto mais valor tem para a pessoa o objetivo a ser alcançado, sendo inclusive comparada à raiva.
As Escrituras sagradas nada revelam a Elias que Acabe e Jezabel mudariam sua opinião quanto à sua fé, porém parece que o profeta assim entendeu. Por não conseguir tal objetivo sentiu-se com tanta raiva acerca de si mesmo que em sua sensação de derrota pede a morte a Deus.
Há momentos em que pensamos ser o fim, que todo nosso esforço não valeu de nada, que tudo foi um desperdício de tempo e de energia. No entanto, devemos, com paciência, esperar pelo chamado do Senhor, para que Ele possa dizer quais os acertos e qual é nossa nova tarefa. Não podemos tirar conclusões precipitadas acerca do resultado de nossos empreendimentos, pois se andamos segundo a vontade de Deus precisamos permitir que Ele avalie nossas conquistas, pois nossa avaliação pode estar incorreta! Haverá a hora em que o Deus que conhece nosso íntimo nos chamará para uma conversa em que nos explicará acerca do resultado alcançado.
Extraído do livro de I Reis capítulo 18

Nenhum comentário:

Postar um comentário